Fim da Linha: Spinoff do Asilo Arkham da Max é cancelado após 4 anos em desenvolvimento

Série do Asilo Arkham
Divulgação

Após quatro anos de dificuldades e várias mudanças criativas, o spinoff de “Asilo Arkham” da Max foi cancelado.

Originalmente planejado como um show sobre o Departamento de Polícia de Gotham City, o programa faria parte do universo de “The Batman” de Matt Reeves, com uma abordagem mais sombria e a presença de vilões como Espantalho, Cara de Barro e Professor Pyg. A série era uma das continuações planejadas para o sucesso de “The Batman” de 2022, ao lado de “The Batman — Parte II” e “O Pinguim” da Max.

O site da Variety anunciou que a Max não vai seguir em frente com “Asilo Arkham”, quatro anos após a ordem de série. Fontes indicam que a versão cancelada foi a de Antonio Campos, que estava ligada a “The Batman” de Matt Reeves, mas um novo projeto pode surgir, mais próximo do universo DC de James Gunn. A notícia veio sete meses após Gunn afirmar que o desenvolvimento ainda estava em andamento.

Cancelamento de Asilo Arkham é decepcionante, mas não uma má notícia

Para quem acompanhou o ciclo problemático de “Asilo Arkham“, o cancelamento pela Max não é surpresa. Concebido como um programa da GCPD, Terence Winter de “A Família Soprano” seria o roteirista, mas saiu por diferenças criativas, sendo substituído por Joe Barton, que também deixou o projeto antes da HBO arquivar a série. Gunn e Reeves continuaram otimistas, mas o cancelamento parecia inevitável.

Mesmo com o cancelamento, o relacionamento de Reeves com a DC não é prejudicado. O spinoff de “O Pinguim“, com Colin Farrell, será lançado na Max em setembro de 2024, após atrasos devido às greves de 2023, servindo como ponte entre os filmes de Reeves. “The Batman — Parte II” teve sua data de lançamento adiada por um ano, com produção prevista para abril de 2025.

Reeves quer completar uma trilogia do Batman, e Gunn está disposto a explorar histórias de “Elseworlds” enquanto constrói o DCU. O cancelamento de “Asilo Arkham” é apenas um pequeno obstáculo. Gunn planeja uma abordagem autônoma para o DCU, o que se alinha com a construção gradual de Reeves, deixando espaço para futuras expansões.

Leia também: 10 heróis não anunciados da DC que queremos ver no Capítulo 1 do DCU

Formado em Jornalismo desde 2012, é o fundador dos sites Universo Heroico e Jornada Geek. Antigo frequentador de locadoras, colecionador de filmes, e agora um apaixonado por streamings. Amante de filmes, séries e games, além de acreditar que é possível vivermos em um mundo onde possa gostar de Marvel e DC.